Comitê Mundial da Paz

Organização Não Governamental, sem fins lucrativos, conhecida por atuações sociais em vários países do mundo e em várias cidades brasileiras.

Histórico do Comitê Mundial da Paz

Em 29 de Outubro de 1956, o presidente do Egito, Gamal Abderl asser, nacionalizou o Canal de Suez e proibiu a passagem de navios israelenses pelo canal.
A atitude de Nasser desagradou aos ingleses e franceses que mantinham o monopólio sobre esta importante via de navegação.


A reação das partes que se sentiram prejudicadas não demoraria: Em poucas horas começaria a intervenção militar dos europeus e judeus.
Enquanto os ingleses e franceses ocupavam a zona do Canal, Israel invadia a Península do Sinai e ocupava o enclave jordaniano, a oeste
do Rio Jordão, de tal forma que, parte da cidade santa de Jerusalém ficou dentro dos limites de Israel.

Tanto os Estados Unidos quanto a UURSS, se opuseram aos atos de guerra, mas foi da União Soviética que partiu o ultimato para que as
forças invasoras abandonassem suas posições. Sofrendo as pressões diplomáticas da ONU o das duas grandes potências os europeus logo
se retiraram e os judeus, um ano depois.

Missão da UNEF

A missão da Força de Paz da ONU estabelecida na Faixa de Gaza, ao longo da ADL, Artística Demarcation Line (Linha de Demarcação do Armistício), isto é, a fronteira física e política entre Israel e Egito, era observar e patrulhar a área, evitando que elementos árabes ou judeus cruzassem a linha.

Os sentinelas que trabalhavam P. O (posto de observação) dispunham de armas apenas para autodefesa, além de binóculos e telefone. Os efetivos da Força de Paz não participariam do conflito existente, apenas observariam as duas partes conflitantes: árabes e judeus. E assim se deu durante os dezanos de atuação da UNEF na área.

Não foi fácil cumprir a missão devido a uma serie de dificuldades encontradas na área:
– Choque psicológico pela troca da Pátria pelo país estrangeiro com paisagens natural e humana bem diferentes; tendo que desativar minas com alto preço para nossas vidas.
– Dificuldade em se expressar no idioma estrangeiro;
– Variações climáticas rigorosas, com temperaturas que oscilavam entre os 50 º graus centígrados (de dia) e O º (à noite), além das tempestades areia;
– Ingestão de água salobra (água do mar tratada);
– Área das mais endêmicas do mundo: lepra, tuberculoses e tracoma, entre outras doenças, o que obrigava os efetivos se submeterem a uma bateria de vacinas para imunização;
– Existência de escorpiões, víboras e outros animais peçonhentos.
– Precários alojamentos em barracas de lona e madeira, sujeitos as intempéries;
– Campos minados, sem o mapeamento devido para permitir deslocamentos em viagens perigosos.

Terrenos minados com perdida de órgãos vitais e até a própria vida, como ocorreu com alguns infortunados companheiros.

Em outros casos houve colegas que pela tensão vivida dia a dia com as ameaças de parte a parte (me refiro aos fedains soldados Egípcios e o pessoal dos Kibutz Israelitas) que para se matarem primeiro tinham que atar-nos e isso terrível e o medo, pânico, nervos,
fizeram colegas menos forte correrem loucos!

Foram muitos os problemas mas a missão valeu o Prêmio Nobel da Paz 1988 que trouxemos para a Pátria .

Criação da UNEF

O presidente egípcio busca a proteção da ONU o, em 03 de novembro de 1956 foi criada a UNEF, United Nations Emergency Force (Força de Emergência das Nações Unidas). Então os “Boinas Azuis” entram em cena estabelecendo-se na Faixa de Gaza, uma área de 100 km de comprimento por 10 km de largura.

Esta Força de Emergência era formada por contingentes do Brasil, Canadá, Índia, Dinamarca, Noruega, Suécia e Iugoslávia. Cada um destes grupamentos tinha em média 600 homens, entre praças e oficiais, num total de 4.200, representando as sete nações durante um ano, renovando seus efetivos a cada ano.

O Contingente brasileiro, formado em sua maioria por elementos de Minas Gerais, da 4 ª Divisão de Exército, convocado a 05/08/1959, cumpriu a sua missão em um ano e meio: No próximo dia 5 de Agosto de 1989 comemora os 30 anos de sua convocação com importante solenidade a realizar-se no 12 º Batalhão de Infantaria e ginásio de 4
ª Brigada, em Belo Horizonte, promovida pela ABIB e 12 ª BI.

João Pedro do Nascimento
Presidente do Comitê Mundial da Paz

Comitê Mundial da Paz

O Comitê da Paz é uma organização não governamental,
sem fins lucrativos, reconhecidos pela Federação Mundial
de Entidades Filantrópicas e presta serviços solidários no
âmbito dos Direitos Humanos e que desde 1988 obteve
através da ONU o Premio Nobel da Paz pela missão do
Canal de Suez 1957/67 na qual nós os fundadores fomos
integrantes das Forças de Paz e portanto somos parte deste
reconhecimento além é claro de obtermos a menção de
honra reconhecida por várias organizações especializadas
em direitos humanos dentro e fora do país.

Foi criado para lutar e obter melhorias para nossa classe,
ademais de apesar do estado de calamidade que atravessamos, nos ropomos a efetuar um trabalho de iniciativa própria do Comitê, no âmbito da filantropia, pois havemos estado cara a cara com a miséria, que nossos ideais de lutar por um mundo mais justo e mais humano, não nos permite fecharmos os olhos aos nossos irmãos da África, Kenya, Tanzânia, Luanda, Ruanda, Moçambique, Haiti, etc.

O COMITE MUNDIAL DA PAZ DA AS BOAS VINDAS AOS IRMAOS
DAS DIFERENTES 
PARTES DO MUNDO


DESDE O BRASIL SEDE DA COPA DO MUNDO 2014
A FAMÍLIA QUE CONFORMA O COMITÊ DA PAZ, ESTA
SEMPRE TRABALHANDO EM PROL DA PAZ E DO SOCIAL.

São expoentes desta política em
prol da humanidade
especialmente, em nossa
juventude buscando agregar
valores em sua formação pois ali
esta o futuro do país, com os
nossos exemplos de vida, de
intermediação de paz, e de
exemplo cívico e social,
especialmente na formação da
família que logo se refletirá em
uma Pátria sólida e solidária.

A COMENDA DA PAZ

A COMENDA DA PAZ É UMA NOMEAÇÃO ESPECIAL QUE O
COMITÊ CENTRAL DA PAZ “COMITÊ DA PAZ”, DESTINA PARA HOMENAGEAR
A PESSOAS FISICAS E JURIDICAS QUE TENHAM SE DESTACADO NA PROMOÇÃO DA PAZ, POR MEIO DE ATIVIDADES  RELACIONADAS A PESQUISA, AO ESPORTE, A ARTE,
A CULTURA,  A CONTRIBUIÇÃO LITERÁRIA,
A CAMPANHAS PACIFISTAS, FILANTROPOS, BENEMERITOS,
ENFIM, AÇÕES QUE PROMOVAM A DIGNIDADE HUMANA,
ERRADICANDO A FOME, A MISÉRIA, VIOLENCIA, O COMBATE
AS DROGAS E ESPECIAL A DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS.

COMENDADORES
NA ORDEM

COMENDADORES NA
ORDEM DA PAZ NO GRAU DE 


VOLUNTARIOS DA PAZ
GRA BENEMERITOS DA PAZ
AMIGOS DAS CAUSAS SOCIAIS
BOINA AZUL HONORIS CAUSA
EMBAIXADORES DA PAZ
INDICADOS AO PREMIO
PRINCIPE DE ASTURIAS
INDICADOS AO PREMIO NOBEL DA PAZ